1.4.11

Superdotados e Eticamente Ilimitados 3

Estou acompanhando o lançamento da série de mangá Hollow Fields desde a metade de 2010, quando saiu a divulgação de seu lançamento no Brasil e agora, quase um ano depois, pude ler a terceira e última parte publicada pela editora NewPop. Como era de se esperar, sua autora, a australiana Madeleine Rosca - uma mangaka bastante devotada às tradições quadrinísticas japonesas -, encerra a história com o confronto definitivo entre a heroína de dez anos incompletos, Lucy Snow, e a centenária vilã Sra. Weaver. Uma batalha que ocupa parte das mais de 200 páginas deste derradeiro volume, enquanto a destruição toma conta do ambiente ao redor: fogo e explosões derrubando o colégio maligno que dá nome à HQ, com suas chaminés e engrenagens que remetem tanto ao steampunk quanto ao clockpunk. Um encerramento bastante apropriado para esses quadrinhos de apelo juvenil, aguardado desde a primeira parte da trilogia.

Neste ponto da série, a escritora entrega as respostas que estavam sendo mantidas em suspense ao longo de todos estes meses: qual é o plano sinistro de Weaver? O que acontece com os alunos enviados para o moinho? Quem está por trás daquele estranho cubo falante que ajuda Lucy nas tarefas escolares? Todas as pontas soltas são respondidas no devido tempo, naquele ritmo sem muita pressa dos mangás, uma narrativa bem mais lenta do que a maioria das HQs ocidentais, tendo os geralmente acelerados comics de super-heróis americanos à frente. Madeleine também segue de perto o estilo oriental no desenho em preto e branco de sua série, usando a maioria das ferramentas típicas dos mangás: das expressões faciais de seus personagens de olhos grandes e narizes microscópicos até a maneira de inserir onomatopéias, dentre todos os demais exemplos possíveis. Pena que a parte mais vistosa de sua arte, a elaboração de cenários detalhados com a estética steamer, seja deixada meio de lado neste terceiro volume, em comparação aos anteriores.

O que atrapalha um pouco a leitura de Hollow Fields é um certo desleixo com os diálogos, quase sempre prolixos a ponto de irritar. O leitor teria muito a agradecer caso a autora ou seus editores dessem uma bela enxugada no que vai dentro dos balões. No caso brasileiro, isso se agrava por uma falta gritante de revisão, que deixa passar mais erros no encerramento da trilogia que em seus episódios anteriores. Se na resenha da segunda edição eu já havia comentado que existe uma dificuldade em se acertar a conjugação do verbo "ver", aqui ela se repete e se multiplica. Some-se a isso muita confusão entre segunda e terceira pessoa, às vezes na mesma frase (um exemplo: "Sim, eu posso tirar tua detenção do seu histórico escolar"), mais confusão entre o uso de "mal" e "mau" ("Seu menino mau... mandou muito mau, Simon!"), e, ainda,  questões de estilo, como excesso de palavras repetidas ("Mal posso esperar pra ver a cara de terror na cara deles"). A NewPop e, principalmente seus leitores em idade escolar - já que este quadrinho específico é recomendado para crianças a partir de 12 anos - só teriam a ganhar com uma revisão mais apurada do material que a editora põe nas bancas.


4 comentários:

bibs disse...

agora que acabou vou correr atrás de comprar os três volumes, vir tudo bonitinho uma vez só. perdi a paciência de esperar em bancas e lançamentos, fora o risco de cancelarem a série no meio do caminho.
eu gostei do plot, mesmo, e quero ver como se desenvolve, apesar dos erros de revisão e tudo mais, espero que a NewPop invista mais nessa àrea =D

Romeu Martins disse...

Acabou sendo uma série bem divertida, se levarmos em conta o público alvo, bibs. Tomara mesmo que a editora volte a investir na temática vaporosa e que contrate pelo menos um bom revisor de texto.

Douglas MCT disse...

"temática vaporosa"?

Aguardem por um mangá aí em 2012, de gênero semelhante :)

Sobre revisão, creio, eles estão buscando melhorar nesse sentido.
Já li outras reclamações também.

Romeu Martins disse...

Quero ler a tua versão de João e Maria steamer, Douglas.

As primeiras duas edições nem foram tanto, mas esta última tinha uns erros bem chatinhos de se ler ;-(