30.8.10

Espaço para o Cyberpunk, também

Se há alguma coisa melhor que ser publicado em um fanzine ao lado de fotos de modelos trajando apenas máscaras de gás esqueceram de me avisar. E é exatamente isso o que aconteceu comigo ao participar da mais recente edição do zine Overclock, sobre música, cybercultura, HQ, fotografia e ficção científica. No número 5 da publicação, divido páginas muita gente boa do cenário brasileiro - e até internacional - do cyberpunk. Minha parte foi uma resenha do romance Cyber Brasiliana de Richard Diegues, um ótimo exemplar nacional do chamado pós-cyber, e a republicação atualizada de meu primeiro conto, "A teoria na prática", narrativa que pode ser classificada como nowpunk. Fábio Fernandes traduz um conto até então inédito em português de Richard Kadrey, "O jardim magnético"; Rodolfo Londero faz o mesmo com uma entrevista ficcional de Bruce Sterling com Raymond Chandler (1889 -1959) e ainda registra uma conversa não-ficcional que teve com Fausto Fawcett. Outro escritor e tradutor, Alexandre Mandarino - que vai ser o responsável pela versão em português de Perdido Street Station - anunciou seu projeto de revista trimestral bilíngue a Hyperpulp (já mandei minha colaboração para ser avaliada).



Ainda em termos de ficção, Dionea Sig Sauer colabora com "Sexus 6", um miniconto classificado como ponopunk, e Max e Edson F. com a HQ "Tour de France". O editor Wandeclayt M. participa com notícias sobre a cena musical, a resenha de Os dias da peste, do já citado Fábio Fernandes, e, claro, as tentadoras fotografias fetichistas de suas musas. Tudo isso pode ser acessado em vários formatos, da leitura on line ao .PDF, pelo blog do zine. Edições anteriores também estão disponíveis, incluindo a número quatro, que também conta com uma resenha minha (e outras fotos de gaúchas usando apenas suas inseparáveis máscaras de gás).

7 comentários:

cyberdecker disse...

Wow! Já tô baixando para... er, ler os contos (e algumas coisas extras lá :P)

Romeu Martins disse...

Caramba, eu nem terminei de postar e já tem comentário! Voltou a ser a ciborgue mais rápido do weird west, Gi!

wandeclayt: disse...

Fazer esse zine é um tesão (em todos os sentidos). Ver tanta gente boa assim disposta a colaborar é realmente motivador!

Romeu Martins disse...

É um tesão de colaborar e de ver o material pronto! Parabéns, Wandeclayt, um trabalho muito bacana!

bibs disse...

que interessante, assim que tiver um tempinho vou baixar e ler
=]
parabens pela participação!

Romeu Martins disse...

Brigado ;-) E o Wandeclayt abriu espaço para outros punks, não apenas os cibernéticos. Vale a pena mandar algo para ele avaliar ;-)

Leonardo Peixoto disse...

Vou lá agora ler sua resenha e seu conto e ver ... outras coisas :)