21.7.10

Conselheiro honorário 3

Como eu prefiro trilogias a histórias em duas partes, procurei o pessoal da Loja São Paulo do Conselho Steampunk para concluir uma série de resenhas que comecei aqui e continuei aqui sobre super-heróis deslocados no tempo para algum cenário ligado à Guerra Civil Americana (1861-1865). Depois dos maiores ícones da DC, desta vez o protagonista é um personagem da Marvel Comics. “O que aconteceria se o Capitão América tivesse lutado na Guerra da Secessão” não é uma história tão conhecida quanto as outras duas, tanto que foi a que mais me deu trabalho para localizar em uma versão publicada no Brasil, na última edição da revista Wizard antes de mudar seu nome para Wizmania. Fiquem abaixo com um trecho desta resenha que só pode ser lida na íntegra no site dos meus camaradas paulistas.



Em 1941, Joe Simon e Jack Kirby criaram um personagem que, mais do que um novo super-herói, era a verdadeira encarnação policrômica de um conceito: os Estados Unidos lutando na Segunda Guerra Mundial. O conflito durou oficialmente de 1939 a 1945, mas para aquele país, ele começou de fato naquele mesmo ano em que Captain America #1 chegou às bancas. Essa ligação entre personagem e fato histórico era tão grande que ele desapareceu dos planos da editora – então chamada Timely Comics –  com o fim das movimentações das tropas na Europa e na Ásia e só voltou décadas mais tarde, quando a renovada Marvel Comics resolveu dar uma segunda chance aos super-heróis, que na década de 60 passaram a ser escritos por um tal de Stan Lee.

Mas e se ao invés de ser o representante ficcional de seu país no maior dos eventos bélicos o personagem tivesse surgido bem antes, durante outra guerra, aquela que forjou a identidade do país cujas cores enfeitam seu uniforme? Essa foi a proposta por trás da revista What if featuring Captain America #1, de 2005, na qual o escritor Tony Bedard e o desenhista Carmine Digiandomenico retiraram o protagonista de seu contexto para jogá-lo ao combate durante a Guerra da Secessão (1861-1865). Com isso, temos aqui um outro caso de anacronismo em cenário típico de histórias steampunk, a exemplo de quadrinhos feitos pela DC com as estrelas da casa Superman e Batman, já resenhados por aqui

4 comentários:

Octavio Aragão disse...

Romeu, já leste meu Capitão América: origens, no Hyperfan? Acho que vais gostar. http://hyperfan.com.br/tits/caorigens.htm

Romeu Martins disse...

Tô lendo sim, Octavio, e gostando muito. Mandei uma contribuição pra lá também, sobre o Demolidor!

resgate disse...

Curti muito esse Capitão.
Tanto que fiz alguns vetores dele e de outros personagens Marvel e DC nesse mesmo cenário:
http://joaonorberto.deviantart.com/gallery/31831587

Romeu Martins disse...

Opa, João, muito legais os teus desenhos! Vou fazer um post, peraí...