4.7.10

Drácula, a fanfic neovitoriana

Vampiros são a espécie favorita da literatura fantástica brasileira. O tempo passa e as ondas vampíricas vêm e vão, numa constante. Se nos últimos anos o destaque nessa área veio de escritoras, como Anne Rice e Stephanie Meyer, o impulso literário do mito teve origem com Bran Stoker (1847-1912) e seu romance Drácula, de 1897. Acabo de saber que essa obra mitológica vai ganhar uma fanfic, com direito a textos supostamente resgatados do original, protagonizada por personagens criados para uma webtira chamada Bram & Vlad.

A autora das tirinhas e da fanfic é a estudante de química, escritora e desenhista mineira Adriana Rodrigues. Ela que é uma das contistas da coletânea Meu amor é um vampiro, estrategicamente lançada pela editora Draco no último Dia dos Namorados, já havia provado que entende tanto das origens clássicas do mito quanto de suas versões mais atualizadas. Para constantar isso, recomendo sua série sobre a estilização do Vampiro, uma crítica muito consciente e bem fundamentada ao trabalho da citada Stephanie Meyer, responsável pela disseminação do que chamo de romance diabético - por misturar sangue com açúcar.

Em outro blog, Adriana lançou a novidade que batizou de Bram & Vlad Vitorianos, o que me chamou a atenção para este post. Abaixo, seguem a ilustração que ela fez para o projeto e trechos de sua introdução para essa fanfic neovitoriana.





Vitorianos? O que é isso, afinal?

"Vitoriano" é um adjetivo que caracteriza um período da história da Inglaterra, em que esse país foi governado pela Rainha Vitória. Isso aconteceu de meados para o fim do século XIX.

Muito do que somos hoje foi construído nesse período. O século XIX foi o século da razão, dando prosseguimento ao século XVIII, o século das luzes. Muitas ciências foram criadas e/ou estruturadas nessa época. A Inglaterra vivia um período de prosperidade e desenvolvimento. Na Literatura, o Romantismo e o Realismo lutavam entre si, um criado da ânsia pela fuga desse mundo tão "certinho" e "explicadinho" e o outro, pelo espírito de racionalidade que imperava na época.

Muitas de minhas obras preferidas são dessa época, além de gente famosa que vocês provavelmente reconhecerão: Sherlock Holmes, O Morro dos Ventos Uivantes, O Médico e o Monstro, Frankenstein, o Retrato de Dorian Grey, Júlio Verne e sua extensa prole (eu sei que ele não era inglês, mas FOI dessa época), Machado de Assis (no Brasil), e ele, claro. Drácula.

Perceberam o chiste? Drácula, a obra que inspirou Bram & Vlad ocorre em pleno período vitoriano. Portanto Bram & Vlad Vitorianos são ninguém mais, ninguém menos que Abraham Van Helsing e Vlad Drácula, os personagens de Bram Stoker. Continua.

3 comentários:

Adriana Rodrigues disse...

Acabou que não deu tempo de eu comentar ontem, mas muito obrigada pela força, Romeu. ^^

Romeu Martins disse...

Imagina, Adriana, o prazer é meu divulgar projetos bacanas ;-)

Anônimo disse...

Occasum

Autor: Orácio Felipe
Sinopse:
Johann é imortal. Mas a imortalidade carrega consigo muitas angústias. A maior delas, a falta de um amor que a acompanhe. Ele buscava, como criatura das trevas, uma companheira que pudesse transformar. Ele buscava um antídoto e havia conquistado alguma força compondo poesias, admiradas tanto pelos seus criados, Igor e Fredy, quanto por aqueles que o perseguiam. Seus buquês de palavras, como costumava chamar, eram entregues àquelas que admirava. Mas havia uma única rosa em seu caminho, para a qual ele passaria a dedicar sua existência, que não era efêmera. Um vampiro buscando extinguir sua chama assassina através do amor de uma mulher.

www.clubedosautores.com.br