15.2.11

Prelúdio em quadrinhos de Bravura Indômita

A dica veio pelo Twitter, onde aquela série sobre Weird West em quadrinhos publicada por aqui vem gerando um ótimo debate sobre os fumetti, principalmente o modo italiano de retratar o Velho Oeste. Mas a dica em si é sobre material americano mesmo e partiu de Cirilo Lemos, com quem vou ter o prazer de dividir as páginas da coletânea Cursed City - Onde as almas não têm valor. Foi ele quem avisou que está disponível um prelúdio em forma de HQ do filme Bravura Indômita (True Grit), readaptação dos irmãos Joel e Ethan Coen a partir do livro de Charles Portis escrito em 1968 (anteriormente ele já foi levado aos cinemas, no ano seguinte, em uma produção premiada e protagonizada pelo mitológico John Wayne). A capa da revista virtual, em um arquivo de 27 páginas, sendo 24 de quadrinhos, é a que vai abaixo.



O texto foi adaptado do romance e do roteiro, com arte assinada por Christian Wildgoose. O desenhista cuidou de dar a imagem do novo protagonista da história nos cinemas para sua contraparte nos quadrinhos: o xerife Reuben J. Cogburn, do Arkansas, agora tem a fisionomia de Jeff Bridges (além do tapa-olho cobrindo o lado direito e não mais o esquerdo, como no filme original, em uma nova alegoria política dos Coen). Li Bravura Indômita - Um negócio pesado esta manhã como preparação para finalmente ver o filme, o que deveria ter acontecido semana passada em uma cabine de imprensa cuja data acabei perdendo. Se eu não voltar a fazer bobagem, amanhã será o dia em que vou conferir essa rara oportunidade de assistir a um faroeste nos cinemas - tive que força a memória para lembrar qual havia sido o último que vi, no caso Os Indomáveis (3:10 to Yuma), com Christian Bale e Russel Crowe, de 2007. Então, repasso a dica do Cirilo: leia a HQ, veja o filme.

5 comentários:

Arthur disse...

Bem, dos faroestes novos vi Os Indomáveis e O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford. Pena que Apaloossa não estreou aqui na minha cidade. Mas o que mais gostei com certeza absoluta foi dos próprios Irmãos Coen: Onde os Fracos não têm vez. E sim, é um faroeste. Um neowestern, na verdade. Mas é uma recriação [ou seria desconstrução?] perfeita do gênero.

Romeu Martins disse...

Hehe, pois é,Onde os Fracos não têm vez é um western contemporâneo, muito bom mesmo. Mas eu tava pensando em filmes no cinema que se passem no séc. XIX, e desses, nos últimos anos, só mesmo Os indomáveis.

O assassinato de Jesse James eu comecei a ver em dvd na casa de amigos, mas não pude prestar muita atenção e sai antes do final, infelizmente.

bibs disse...

ai adorei o traço!!!!
depois vou querer ler e assistir o filme =DD

Cirilo disse...

E acredita que eu ainda não consegui ler? OO

Romeu Martins disse...

Achei bem bacana o traço também, bibs, quase cartunesco, meio underground... bem legal.

No meu computador, demorou mais pra eu baixar o pdf que pra ler, Cirilo ;-) Valeu a dica!

Acho que vou ver o filme hoje mesmo, com um pessoal lá em Floripa.