19.9.11

Conan, Espada & Magia

Bem, meu tempo disponível para o blog ainda está curto em setembro. Queria fazer uma resenha do recente filme de Conan, mas nem a produção me empolgou muito para escrever a respeito, nem sobra muito espaço entre um compromisso e outro para desenvolver algo decente sobre o que achei do filme (resumo: o protagonista nem é tão ruim, mas os coadjuvantes são péssimos; o roteiro é fraco; é razoavelmente bom na parte da Espada, mas muito ruim na de Magia; o 3d é acima da média; o começo é bom, o final é constrangedor). Para não deixar passar a oportunidade de pelo menos citar um de meus personagens favoritos, resolvi resgatar alguns textos antigos para quem se interessar pelo que eu tenho a dizer sobre o assunto de forma mais geral.

O Crônicas da Ciméria é um portal muito bacana, que reúne material produzido pelo criador do bárbaro, o texano Robert E. Howard, e muitos textos analisando o legado do personagem. Lá é possível ler algumas matérias minhas. Por exemplo, esta sobre quando houve a última tentativa de resgate da popularidade do cimério nos quadrinhos:

Conan ganha mais uma chance de fazer sucesso nos quadrinhos

Nem Homem-Aranha, nem Batman, nem os X-Men, nem Super-Homem. No Brasil, o personagem recordista em números de revistas em quadrinhos regulares batizadas com seu nome é um certo bárbaro que foi criado originalmente para figurar em livrinhos de pulp fiction. Agora, chega às bancas uma nova integrante para a lista que inclui Espada Selvagem de Conan; Conan em Cores; Conan, o Bárbaro; Conan Rei; Rei Conan; Conan Saga; Conan, o Aventureiro... (isso tudo fora almanaques especiais, revistas-pôsteres, quadrinizações dos filmes, graphic novels e até as seis edições pré-históricas que rebatizaram o personagem como Harthan, o Selvagem [!]). Conan, a Lenda é um prelúdio, um número zero, que a Mythos Editora lança no Brasil apenas quatro meses depois de sua publicação nos EUA, onde bateu recordes de vendas. A revista, de apenas 20 páginas, serve por sua vez de aperitivo para Conan, o Cimério, a publicação que a partir de abril passará a limpo, todos os meses, a carreira da maior criação de Robert E. Howard (1906-1936).

Tem também esta entrevista que fiz com alguns dos responsáveis pela iniciativa do portal, em que falamos sobre a expectativa de um possível novo filme:

Existe um endereço que é a referência nacional a tudo o que diga respeito a Conan e a Era Hiboriana: (...) Crônicas da Ciméria. Mantido há três anos por Osvaldo Magalhães e mais recentemente em parceria com Alessandro Nunes, que reformulou totalmente o site, o portal antigamente era vizinho d´ O Malaco (o site antecessor do marca Diabo) na HPG. Em seu novo endereço, a home page dedicada ao personagem ganhou contornos profissionais e aumentou o conteúdo aos seus usuários, chamados de Discípulos do Aço entre eles.

Para saber o que esses especialistas em Conan estão achando das novidades a respeito do bárbaro, como sua nova revista e os boatos em torno de um terceiro filme, o Marca Diabo acionou por e-mail o cronista Osvaldo Magalhães e o discípulo Douglas Oliveira Donin. Em suas identidades civis, ambos são bancários e ávidos colecionadores de praticamente tudo o que leva a marca Conan - Donin há 10 anos e Magalhães desde 1987.

E, por último, a resenha da primeira edição daquela revista anunciada anteriormente, Conan, o Cimério:

Quando, em março, escrevi sobre Conan, A Lenda, espécie de número zero da nova publicação mensal do mais famoso bárbaro dos quadrinhos, esperava voltar ao assunto dali a algumas semanas, dessa vez resenhando a aguardada versão atualizada do personagem produzida pela Dark Horse. Mas o tempo passou, o que era para ser algumas semanas virou uma espera de meses, tudo porque o pessoal que vai trabalhar com o material no Brasil, a Mythos Editora, não avisou a seus leitores que a nova revista não chegaria ao mesmo tempo em todo o país. Primeiro foram servidas as bancas do famoso eixo Rio-São Paulo, para só depois o que sobrasse seguir viagem para além da Via Dutra. Tal decisão provocou ira na pequena, mas fiel, torcida do personagem criado por Robert E. Howard. Se alguém acha que estou exagerando, é porque não viu as mensagens furiosas em fóruns e listas de discussões dedicados ao seguidor do melancólico deus Crom. Finalmente, no início de julho, a revista Conan, O Cimério (pelo menos é assim que ela é chamada no expediente, mas na capa o nome do bárbaro aparecesozinho, sem adjetivos) ganhou a tão ansiada distribuição nacional.
Boas leituras!

3 comentários:

Tiarles M. Rodeghiero disse...

Essa número 00 foi aquela que ganhou o Eisner Awards? Se for, eu recomendo, é muito boa mesmo! Aliás, até mais ou menos o número 30 toda essa revista "CONAN, O CIMÉRIO" foi muito boa. Me diverti e me emocionei muito lendo aquelas HQs. (Pena que moro no RS, bem longe do eixo SP/RJ, e o fim dessa revista foi anunciado justamente quando consegui começar a comprá-las...)
Tive que "completar" minha coleção no 4shared. Para quem tiver interesse; tem todas revistas lá.
Quanto aos filmes, tenho certeza que nunca serão tão bons quanto as HQs. O mundo de Conan é muito rico e o investimento feito pelos estúdios sempre é fraco demais para reproduzir com qualidade e bom gosto o clima dos quadrinhos.
Não tenho esperança de ver um filme surpreendente.

Romeu Martins disse...

Opa, Tiarles. Concordo contigo, a nova versão em quadrinhos de Conan começou muito bem, pena que não tenha tido tanto sucesso quanto a da Marvel. Desde o número zero, revelando quem seria o famoso narrador do "Saiba, ó príncipe...", passando pela adaptação dos contos da juventude do Cimério ("A filha do gigante de gelo", "O deus na tigela", "A Torre do Elefante") e mesmo algumas ideias novas para o mundo hiboriano, como a excelente versão para os hiperbóreos.

Quanto aos filmes, eu sempre desejei ver uma franquia de sucesso que acompanhasse toda a trajetória do personagem, da juventude de ladrão à maturidade de rei, mais ou menos como o que ocorre com os diversos filmes de James Bond. É uma pena que o cinema ainda não tenha se acertado com a obra de REH. Abraço!

Leonardo Peixoto disse...

Para quem conhece vagamente Conan e deseja se aprofundar melhor em sua saga , por onde você recomenda começar ?