20.2.09

Carnaval: Verne na Sapucaí 4

O samba enredo, de autoria de Gugu das Candongas, Léo da Ilha, Sardinha, Rafael Bronze e Marcinho:

Vou viajar!
Não tem distância que vá me segurar
Eu vou chegar a qualquer lugar
Com Julio Verne você pode imaginar
Sou essa máquina engrenada na folia
Vou levando alegria pro mundo inteiro
Da Terra eu vou pro céu
Do céu eu vou pro mar
Num delírio aventureiro!

Além do infinito, eu vou desvendar
O centro da Terra, no fundo do mar
Na grande floresta do imperador
O desconhecido me encantou

O Brasil! Se ligou na sua história
De um livro de sonhos, as asas da glória
O brasileiro inspirado por ti
Voando, conquista Paris
Tocando o Céu, bem no alto iluminado
No Corcovado recebe feliz!
De braços abertos, o meu Redentor
Vai abençoando, você que chegou
A mãe natureza, se sente orgulhosa
Cidade maravilhosa!

É nessa que eu vou embarcar
É preciso sonhar... Chegou a Ilha!
De azul, vermelho e branco pintei meu carnaval
Do meu Rio sou cartão postal!

6 comentários:

Lancaster disse...

Há muito tempo/Num outrora antigamente/muito antes de anteontem/há muito tempo atrás/num tempo antigoooo.../que não volta mais...

Romeu Martins disse...

Hehe, o famoso pretérito muito-mais-que-perfeito :-)

Anônimo disse...

A FC na boca do povo da Cidade Phantástica. Bom timing pras postagens aqui.

Romeu Martins disse...

É vero, anônimo (a). Até me surpreendi com algumas semelhanças do enredo e da noveleta...

Será algum espírito da época? Ideias platônicas no ar e sem acento?

Anônimo disse...

Semelhanças entre o enredo e o conto, é mesmo.

Será que agora O Brasil! Se ligou na sua história? :) Talvez esse seja o espírito. Da época.

Ludi (anônima por preguiça)

Romeu Martins disse...

Ah, oi, Ludi, minha beta reader querida ;-)

Que existe interesse pela história do país existe. Veja o grande best-seller do ano passado, o 1808, ou o sucesso que os livros do Eduardo Bueno (vulgo Peninha) fizeram na época das comemorações sobre o Descobrimento.

Acho que existe um grande, enorme, nicho para um subgênero da FC aí: a História Alternativa.