22.1.09

Polícia do quê?

— Está tudo bem, agora, sou da Polícia dos Caminhos de Ferro e a situação está sob controle.

Pode até parecer, mas essa força policial não é somente uma invenção para o universo ficcional de Cidade Phantástica. Polícia dos Caminhos de Ferro foi realmente o nome da primeira corporação de segurança especializada do Brasil, criada antes mesmo da inauguração de alguma estrada de ferro no país.

D. Pedro II fundou a instituição por força de um decreto régio em julho de 1852. Apenas dois anos depois, em abril de 1854, terminou a construção da ferrovia por onde circulou a locomotiva número um do Brasil, a Baroneza (conforme grafia da época), apelido recebido para homenagear a esposa do Barão de Mauá.

Em mais de 150 anos de história, a denominação foi se alterando sucessivamente. Primeiro para Polícia e Segurança das Estradas de Ferro; em seguida, veio Guarda Civil Ferroviária; por último, temos o nome atual e que aparece no distintivo à direita, Polícia Ferroviária Federal.

Em todo esse tempo, a tropa sempre teve a missão de proteger tanto os passageiros quanto as mercadorias que circulam pelos trens brasileiros, bem como cuidar da infraestrutura ferroviária nacional.

Porém, se a antiga Polícia dos Caminhos de Ferro nasceu com um ar de pionerismo e com um nome de batismo tão poético, a realidade de hoje é bem mais dura. A corporação pode ser considerada um símbolo do descaso de nosso país em relação às ferrovias, abandonadas pela prioridade que se passou a dar às rodovias. Tanto que já chegou a ser considerada a menor força policial do mundo. Atualmente, menos de mil agentes acumulam a responsabilidade de zelar pelos quase trinta mil quilômetros de trilhos espalhados pelo território nacional.

2 comentários:

MilaF disse...

Gente da minha geração ainda viajou de Sampa ao Rio de trem - uma viagem um tanto longa, mas linda, gostosa e razoavelmente econômica.

Um Brasil com menos carros e mais ferrovias seria um Brasil bem melhor.

Romeu Martins disse...

Pois agora, Mila.

Eu nunca estive em um trem, infelizmente...

Mas te deixo uma dica, saca a ótima revista História Viva? Eles tão cmo uma série de seis facículos sobre o apogeu e decadência das ferrovias no Brasil.

Nas bancas tá no número quatro. Recomendo ;)