22.10.11

Weird west brasileiro tipo exportação

Uma ótima notícia vem do blog Galvanizando do escritor e advogado paulista Marcelo Augusto Galvão. Ele será um dos autores presentes na coletânea Os anos de ouro da Pulp Fiction portuguesa, editada em Portugal pela Saída de Emergência e com organização de Luís Filipe Silva. Em seu mais recente post, Galvão informa que o conto selecionado para fazer parte do livro é de um dos gêneros favoritos desta casa:

No meu caso, participo com o weird west Horror em Sangre de Cristo, uma trama que mostra um xerife tentando solucionar mortes brutais numa cidadezinha no Oeste americano do século XIX.

Mais ainda, o representante brasileiro naquela obra deixou disponíveis a bela capa da coletânea - será o Sombra aquele em um táxi lisboeta? - e a instigante apresentação que podem ser vistas a seguir:

Poucos o sabem, mas a literatura de pulp fiction, que marcou toda a cultura popular dos EUA na primeira metade do século XX, também esteve presente em Portugal, e em força.Houve um tempo em que heróis mascarados corriam as ruas de Lisboa à cata de criminosos; em que navegadores quinhentistas descobriam cidades submersas e tecnologias avançadas; em que espiões nazis conduziam experiências secretas no Alentejo; em que detectives privados esmurrados pela vida se sacrificavam em prol de uma curvilínea dama; em que bárbaros sanguinários combatiam feitiçaria na companhia de amazonas seminuas; em que era preciso salvar os colonos das estações espaciais de nome português; em que seres das profundezas da Terra e do Tempo despertavam do torpor milenário ao largo de Cascais; em que Portugal sofria constantes ataques de inimigos externos ou ameaças cósmicas que prometiam destruí-lo em poucas páginas, antes de voltar tudo à normalidade aquando do último parágrafo.

2 comentários:

Marcelo Augusto Galvão disse...

Legal que tenha gostado da notícia! Esse projeto do Luís Filipe Silva é muito interessante. E quanto ao weird west, talvez outro conto meu do gênero apareça pela net em breve. Obrigado!

Romeu Martins disse...

Uma ótima notícia termos um brasileiro representado em um projeto com uma abrangência histórica dessas e ainda receber o elogio que o organizador te fez! Parabéns mesmo e que venham mais contos weird west!