7.1.13

Descanse em paz, MHell

É com tristeza que escrevo o primeiro post do ano para dar a notícia que soube nesta segunda-feira pela manhã: faleceu no dia 6 de janeiro uma das pessoas mais queridas e positivas do mundo da ficção fantástica brasileira, Maria Helena Bandeira. Sobrinha-neta do grande Manuel Bandeira, MHell como era chamada pelos amigos foi a única mulher a fazer parte do seleto grupo de escritores nacionais a ter um texto publicado na saudosa Isaac Asimov Magazine. Em agosto de 2008, tive a honra de republicar este conto em meu antigo blog. Havia transcrito o texto de minha edição de número 19 daquela revista, pedi a autorização da autora. Maria Helena não apenas com gentileza e entusiasmo me deu o sinal verde, como ainda fez questão de me enviar uma pintura sua que serviu como ilustração para "Eu mesmo", um dos contos mais conhecidos da ficção científica brazuca. Foi um de nossos primeiros contatos, a que se seguiram diversos emails, novos contos e novas ilustrações publicados, algumas confidências trocadas... Fica a saudade, amenizada pela releitura de suas obras. Descanse em paz, MHell.


4 comentários:

Ana Rodrigues disse...

2013 já começa com saldo negativo para a FC brasileira - e mundial.

Romeu Martins disse...

É a notícia mais triste que já tive em todo esse tempo acompanhando o fandom. A MHell vai ser uma perda tremenda, uma falta daquelas irremediáveis.

Marta Rolim disse...

É difícil falar da não-presença da Mhel. Uma escritora ímpar, de trabalhos realmente marcantes; uma pessoa de grande generosidade ao compartilhar seu saber, suas experiências; uma pessoa muito solidária, capaz de trabalho exaustivo em prol do grupo; uma mulher extremamente sensível. O mundo a perde. Mas de um ponto de vista transcendente, com certeza ela sabe muito bem onde está e continua.
Beijo, Mhel!

Carlos Abreu disse...

Fica em paz crida!